financiamento-imobiliario-de-alto-padrao

O financiamento imobiliário costuma gerar diversas dúvidas durante a compra de um imóvel, mas os imóveis de alto padrão geram ainda mais dúvidas.

 

Isso porque imóveis de alto padrão não costumam entrar na divulgação de novos planos, bem como não costumam ser alvo de novas medidas ou condições exclusivas.

 

Se você quiser saber mais sobre financiamento imobiliário e como financiar um imóvel de alto padrão, continue a leitura deste post e tire suas dúvidas sobre como realizar uma compra parcelada com aporte bancário.

 

Como funciona o financiamento imobiliário

 

O financiamento imobiliário nada mais é do que a cessão de uma carta de crédito pelo banco para aporte de uma transação imobiliária. Nele o cliente solicita o valor para a compra do imóvel desejado, conforme as restrições e limites bancários.

 

Após análise da situação financeira, o banco, então, transfere o valor ao cliente para o pagamento do imóvel. Este, por sua vez, fica alienado ao banco até a quitação das parcelas da carta de crédito.

 

Este processo é a base para qualquer financiamento, independentemente do valor. O que muda são os limites máximos de financiamento dentro do valor do imóvel, bem como as taxas de juros praticadas.

 

Nos imóveis de alto padrão há uma restrição na modalidade de financiamento. A maioria dos financiamentos padrões estipulam um teto no valor dos imóveis em R$1,5 milhão, com as taxas padronizadas. 

 

Nos imóveis acima deste valor, a modalidade muda para o Sistema de Financiamento Imobiliário (SFI). Dentro deste não há teto na avaliação dos imóveis, todavia as taxas de juros são relativamente maiores do que as praticadas na modalidade de R$401.000 até R$1,5 milhão e ainda maiores do que as taxas da modalidade inicial (e mais comum) para financiamento de imóveis até R$400 mil.

 

As taxas para financiamento de alto padrão

Recentemente, como um estímulo à transação imobiliária de alto padrão, diversos bancos flexibilizaram suas taxas de juros, tornando a modalidade de financiamento imobiliário de alto padrão um fator competitivo à transação mais comum atualmente, o pagamento à vista.

 

Com as novas taxas é possível economizar cerca de R$400 mil em juros em um financiamento de R$2 milhões, por exemplo, graças à redução da Caixa Econômica Federal, por exemplo, de 11% para 9,75% ao ano.

 

Diversos outros bancos, como o Itaú, por exemplo, reduziram suas taxas de juros para correntistas no financiamento de alto padrão, fixando o percentual em 8,5% ao ano.

 

Além disso, o parcelamento máximo utilizado pelas instituições financeiras costuma ser de 420 meses, além de o teto para carta de crédito concedida ser de, na maioria dos bancos, 80 a 90% do valor do imóvel.

 

O que caracteriza um imóvel de alto padrão

 

Um imóvel de alto padrão não é, necessariamente, um imóvel de valor agregado alto ou, então, com uma grande metragem. Existem diversas características que, combinadas, fazem de um bem ser taxado como alto padrão.

 

Localização

Um apartamento ou uma casa de alto padrão comumente carregam essa característica dentre seus atributos. Uma localização privilegiada, em uma região de grande procura e com um alto valor de m² médio eleva, e muito, o status do imóvel.

 

Área Construída

Apesar de não resumir o conceito de alto padrão, uma metragem construída ampla e bem dividida certamente é um fator importante para categorizar os imóveis. Quanto maior e mais bem aproveitado o imóvel, maior será o conforto proporcionado aos seus moradores, aumentando assim seu valor de mercado e seu conceito dentre as demais opções.

 

Acabamento e Infraestrutura

Outro item essencial em um imóvel para ser enquadrado como “alto padrão” são os seus acabamentos e infraestrutura. Estes detalhes vão do mais simples ao mais sofisticado, enquadrando tipos de piso, esquadrias, tinturas, móveis, eletros, encanamentos, iluminação e muito mais. Estruturas como banheiras, jacuzzis, closet, piscina e todo o aspecto da área comum (caso seja localizado em um condomínio) também precisam seguir este – alto – padrão de acabamento.

 

Usabilidade e Tecnologia

Lado a lado com o acabamento e infraestrutura está a atenção para o uso dos ambientes. E isso vai desde comandos por voz, tomadas inteligentes com carregamento USB, persianas elétricas e, claro, um projeto arquitetônico para “montar” o imóvel e receber os melhores móveis, quadros, decoração, eletros e deixar, enfim, o imóvel com a “cara” de um alto padrão.

 

Documentos e processo para financiar uma casa de alto padrão

 

O processo de financiar uma casa de alto padrão, por exemplo, é muito semelhante com qualquer outro financiamento imobiliário.

 

A documentação exigida depende de cada banco. Considerando o cenário de que imóveis dentro do SFI podem ser financiados tanto por pessoas físicas quanto jurídicas, vamos considerar a documentação-base de ambas as situações.

 

Para um financiamento de pessoa física você precisará, geralmente, de RG, CPF, comprovante de estado civil e comprovante de renda e residência.

 

Para o financiamento de pessoa jurídica você precisará da documentação da empresa, como carta de CNPJ, contrato social, extratos bancários da movimentação de caixa e documentos pessoais dos sócios.

 

Independente da modalidade escolhida, é importante entrar em contato com a instituição bancária que será utilizada para confirmar quais documentos você precisa levar dentro do seu cenário de financiamento. O ideal é conversar com seu gerente bancário caso já tenha escolhido o melhor banco.

 

Melhores bancos e renda mínima para financiar um imóvel de alto padrão em Franca

 

Mas… e se você ainda não escolheu o banco?

 

Apesar de ser adotada como a melhor opção para financiamentos de baixo valor, a Caixa também conta com uma das melhores opções para financiamento de alto padrão, como mencionamos acima.

 

Abaixo você pode conferir um cenário hipotético de financiamento de um imóvel de R$ 2 milhões no Estado de São Paulo:

 

Caixa

Dentro do cenário apresentado, o financiamento Caixa atende, com uma entrada mínima de R$ 1.028.425,85 e um financiamento do saldo complementar em até 420 meses, em uma taxa de juros efetivos de 7,60% a.a. Clique e simule.

 

Banco do Brasil

O BB, dentro do mesmo cenário, apresentou a possibilidade de parcelamento em 360 meses, com uma entrada de 20% (R$400.000,00) e saldo em juros efetivos de 7,69 % a.a. Clique e simule.

 

Santander

Dentro deste cenário o Santander exigiu uma entrada mínima de R$ 737.384,30 e o saldo à financiar poderá ser parcelado em 420 meses. O montante será fixado à uma taxa de juros efetiva de 6,99 % a.a. Clique e simule.

 

Bradesco

O Banco Bradesco apresentou, na simulação, uma entrada mínima de 20% (R$400.000,00) e o saldo à financiar baseado em uma taxa de juros efetiva de 6,90% a.a. Clique e simule.

 

Com isso conseguimos perceber que as taxas de juros estão competitivas e os bancos possuem taxas parecidas, porém entradas mínimas variadas, bem como prazos para pagamento total.

 

Todavia, além de também precisar analisar as taxas de juros dos seguros obrigatórios, o fator de relacionamento bancário muda, e muito, possíveis cenários de parcelamento.

Com isso, a dica da Parra é de que você converse com um corretor, que poderá intermediar a busca pelo melhor banco e encontrar as melhores opções de financiamento imobiliário para imóvel de alto padrão. Clique aqui e fale com nossa equipe.