O setor imobiliário tem registrado números positivos durante a pandemia e a tendência é que permaneça em alta. O diretor da Parra Imobiliária, Marcos Parra, foi entrevistado pelo jornal Verdade, e destacou que nesse período “as pessoas estão escolhendo onde e como querem morar”. Acompanhe neste post mais detalhes sobre a entrevista em que Parra faz uma avaliação do mercado imobiliário aquecido.

Busca por mais qualidade de vida

Com experiência de mais de 30 anos no setor, Parra analisa que “com o ‘fique em casa’, as pessoas sentiram a necessidade de ter mais qualidade de vida e viver o agora”. A pandemia fez com que elas passassem a usufruir mais dos imóveis e aquilo com que o morador começou a conviver ficou insuficiente, “porque antes ele tinha parque para ir, clube para ir, família para visitar, […] restaurantes, bares e praças, mas ele teve que ficar na casa dele e começou a olhar o que que ele estava vivendo dentro desse espaço”, destaca Parra na entrevista ao jornal.

Ele completa que isso chamou a atenção das pessoas para a qualidade de vida, para usufruir do imóvel e dar conforto à família, o que levou muitos planos a serem tirados da gaveta. “Ficamos muitos anos, a grande maioria da população, fazendo o que era preciso e necessário para morar, agora nós estamos tendo a vontade e uma audácia positiva de escolher onde e como morar”, afirma Parra. 

O diretor da imobiliária observa então que o mercado imobiliário do país acelerou e que isso já era uma tendência.

O setor no pós-pandemia

Parra acredita que o setor imobiliário deve permanecer aquecido no pós-pandemia. “Nós temos uma visão de que pelo menos nos próximos dez anos a coisa vai continuar crescendo”, ressalta. O diretor apontou o fortalecimento do financiamento habitacional como um dos termômetros para a previsão: o financiamento, que antes era utilizado principalmente pelas classes média e baixa, agora também está atraindo as classes mais altas. “Temos hoje um mercado de classe média e classe média alta de 3%, 4% realizando financiamento, o que era quase perto de 0% antes. Isso vai chegar a 50% financiando, então é muito promissor.”

Posicionamento da Parra frente à pandemia

No começo de 2019 a Parra já estava com a digitalização dos processos e da comunicação em andamento. “Quando veio a pandemia, acelerou muito esse processo, então a Parra já estava se relacionando com empresas de tecnologia”, enfatiza o diretor. Além do WhatsApp Business integrado e da assinatura digital de contratos, ele destaca o avanço do site da imobiliária, que é interativo. Além do usuário encontrar as informações que precisa, ainda conta com uma série de serviços online: pode inserir documentos, agendar desocupações e, na Área do Cliente, emitir boleto, extrato e verificar documentos – o que facilita e agiliza o atendimento aos clientes.

Reserva dos Ipês 

Marcos Parra também fala na entrevista ao jornal Verdade sobre o condomínio fechado Reserva dos Ipês. “O Reserva dos Ipês surgiu por uma necessidade de mercado, que foi provocada em Franca”, destaca. Parra explica que, na cidade, muita gente quer morar em um residencial fechado, como os novos empreendimentos que existem perto da Unifran, mas o valor necessário entre comprar terreno e construir ou comprar uma casa pronta, estava inviabilizando o investimento para a classe média.

Ao mesmo tempo, a Parra identificou muitos interessados em casas em condomínio com preços entre R$ 600 mil e R$ 800 mil. Foi aí que o departamento de desenvolvimento e criação da imobiliária descobriu uma área em Cristais Paulista. “Fizemos parceria com o terrenista, desenvolvemos a área e nasceu o Reserva do Ipês, com 277 lotes, seguindo a mesma tipologia, […] o mesmo padrão de portaria, fechado com muro, a qualidade do urbanismo com asfalto, guias e sarjetas, o paisagismo, áreas de lazer”. 

Parra observa que proprietários que hoje moram em bairros com casas boas, com área de lazer com churrasqueira e piscina, buscam, entre outras coisas, qualidade de vida melhor para as crianças e segurança. “O público que adquiriu o Reserva quer ter esse diferencial. O item principal não é segurança, é justamente a tranquilidade, é sair do trabalho e morar em um local para se desligar. […] O Reserva passa a ser uma escolha para pessoas que estão morando em apartamento ou em bairro aberto e querem qualidade no morar. Com a pandemia, as pessoas puderam ter um olhar interno, para as necessidades da casa e dos filhos”, frisa Parra.

Drive-Thru

Como o lançamento do Reserva dos Ipês foi feito durante a pandemia, a Parra inovou e realizou a comercialização do empreendimento no sistema Drive-Thru. O diretor conta que para evitar o contato direto entre as pessoas – devido ao Coronavírus -, surgiu a ideia de fazer como os restaurantes: “a gente conseguiu respeitar a ordem de chegada dos carros. Foi o primeiro que realizamos e foi um sucesso”. No dia do lançamento, no sistema Drive-Thru, foram vendidos 40% dos lotes. Segundo Parra, o volume de vendas surpreendeu. Mas, acrescenta, “tudo depende do produto. O Reserva dos Ipês é um residencial fechado, classe média, que tem um determinado padrão, porém ele tem o preço que está a metade do metro quadrado de Franca”. 

Conheça aqui mais detalhes sobre o condomínio fechado Reserva dos Ipês, localizado em Cristais Paulista, há 10 minutos de Franca.

Próximos lançamentos da Parra

Ao comentar a respeito dos próximos lançamentos da empresa, Marcos Parra revelou: “estamos com um econômico na Zona Oeste de Franca que terá 826 lotes, está em fase de registro. O Reserva dos Ipês II está programado para daqui dois anos, em uma área que a gente tem em frente ao Reserva do Ipês. Temos muita coisa no forno, mas faz parte do mercado imobiliário a gente ir soltando aos poucos”.

Confira aqui a versão online da entrevista completa de Marcos Parra, diretor da Parra Imobiliária, em Franca, para o jornal Verdade.